Superintendentes do SENAR se reúnem em encontro anual

16/12/2016

“A assistência técnica do SENAR é um modelo diferente. Queremos transferir a tecnologia com avaliação econômica para dentro da propriedade. Não estamos tentando substituir a assistência técnica já existente, estamos fazendo algo novo”, afirmou o secretário executivo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), Daniel Carrara, no segundo Encontro de Superintendentes 2016, em Brasília, que contou com a participação do presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins.

A afirmação foi feita durante a apresentação da Carta de Brasília, documento que concentra as decisões tomadas ao longo do 2º Fórum da Assistência Técnica e Gerencial do SENAR realizado em novembro, e que será norteador para as ações de ATeG em 2017. “Não ofertamos apenas assistência técnica, o produtor está recebendo conhecimento e aprendendo, por exemplo, qual tecnologia deve usar, para depois caminhar com as próprias pernas.”

No encontro, o coordenador de Assistência Técnica e Gerencial do SENAR, Matheus Ferreira, apresentou as 10 diretrizes da ATEG levantadas no 2º fórum para aprovação dos superintendentes. Otávio Celidonio, superintendente do SENAR Mato Grosso, sugeriu a inclusão de uma nova diretriz sobre compartilhamento de conhecimento entre produtores. “Os produtores que receberam ATeG do SENAR podem ensinar outros produtores com seu sucesso. A gente sabe que aprendemos mais quando ensinamos”, observa.

Outros pontos da Carta de Brasília foram destacados na reunião, como é o caso da necessidade de aproximação dos sindicatos rurais com grupos de produtores assistidos pelo SENAR. “Os Sindicatos Rurais são fundamentais na formação dos grupos de produtores que serão atendidos, mas também no monitoramento dos resultados obtidos pelos técnicos de campo. É o Sindicato que conhece as principais necessidades e é quem precisa acompanhar os avanços obtidos pela  Assistência Técnica e Gerencial do SENAR”, explica Matheus Ferreira.   

Coordenador da ATeG do SENAR, Matheus Ferreira.

O superintendente do SENAR Maranhão, Luiz Figueiredo, destacou que o programa de ATeG Mais Produção, em parceria com o Governo do Estado, está fazendo esse trabalho de aproximação, principalmente com as prefeituras. “Os prefeitos estão procurando o SENAR para levar Assistência Técnica para seu município. Já na execução do Mapito, percebemos que no município que tinha sindicato rural o programa desenvolveu melhor devido à parceria.”

As 10 diretrizes da ATeG do SENAR para 2017 são 1. Enfatizar o modelo privado de assistência técnica; 2. Apresentar os resultados técnicos, e, principalmente os econômicos alcançados; 3. Garantir uma seleção adequada do produtor rural a ser assistido; 4.Ter uma equipe técnica qualificada; 5.Desenvolver o modelo de ATeG de maneira continuada e com foco em uma cadeia produtiva;6.Promover a aproximação com os sindicatos rurais; 7.Incentivar a mudança de comportamento e autoestima do produtor;8.Estimular a organização social do grupo de produtores; 9.Respeitar a individualidade na elaboração do planejamento das propriedades; e 10.Relacionar os temas das capacitações às principais demandas identificadas pelo técnico de campo.

Novas vagas para o curso Técnico em Agronegócio

Além da Assistência Técnica, o curso Técnico em Agronegócio da Rede e-Tec Brasil no SENAR também entrou na pauta do encontro de superintendentes. A novidade é que o curso foi reconhecido nacionalmente pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal (CREA-DF). Segundo o chefe do Departamento de Inovação e Conhecimento do SENAR, Luís Tadeu Prudente Santos, os interessados no curso já podem começar a estudar, porque um novo processo seletivo já está a caminho. “Estamos em fase de preparação e a ideia é que o edital saia na segunda quinzena de janeiro para as aulas começarem no início de março. Nossa expectativa é abrir seleção para mil vagas no primeiro semestre de 2017.”

Chefe do Departamento de Inovação e Conhecimento (DIC), Luís Tadeu Prudente.

O superintendente do SENAR Paraíba, Sérgio Martins, destacou o sucesso do curso no seu estado. “Este ano formamos algumas turmas e vimos como os alunos estão satisfeitos com o curso. Está sendo muito gratificante fazer esse trabalho. O depoimento dos alunos é o maior presente que o Sistema pode ter,” comemorou. 

O curso é semipresencial, com 80% da carga horária a distância e 20% presencial numa rede de 80 polos de apoio espalhada por  22 estados e o Distrito Federal. Para mais informações, acesse: www.senar.org.br/etec

Assessoria de Comunicação do SENAR
Fotos: Tony Oliveira/Wenderson Araújo
(61) 2109-4128
www.senar.org.br
www.facebook.com/SENARBrasil
www.twitter.com/SENARBrasil
www.canaldoprodutor.tv.br