Demandas por cursos do Senar/MS devem aumentar cerca de 40% em 2017

02/12/2016

Em 2017, o Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural realizará mais de 10 mil cursos em Mato Grosso do Sul. Esta é a previsão anunciada hoje (2) pelo superintendente regional, Rogério Beretta, durante coletiva de imprensa realizada na sede do Sistema Famasul – Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul.  A estimativa é 40% maior que os números contabilizados em 2016 que totalizaram 7,6 mil turmas concluídas e 179 mil pessoas qualificadas.

Segundo o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, um dos mais importantes trabalhos desenvolvidos pela instituição é o programa Agrinho MS que dobrou o atendimento aos estudantes e professores do ensino fundamental, na rede pública municipal e estadual de ensino. “Desde que começou em 2014, o programa de responsabilidade social vem conquistando a adesão dos municípios e parte deste sucesso se deve ao apoio dos nossos parceiros que são sindicatos rurais, municípios, entidades de educação e pesquisa ligadas ao governo do Estado. Esperamos com isso, aumentar nossa abrangência em pelo menos 50% em 2017”, reforça.

Para o superintendente do SENAR/MS, os programas especiais com foco na Promoção Social reforçam a missão da instituição que é contribuir para o desenvolvimento da produção sustentável, da competividade e dos avanços sociais no meio rural. “O crescimento do Agrinho aqui no Estado é motivo de muita satisfação para toda equipe e a melhor prova é a adesão que recebemos anualmente desde que foi implantado. Temos ainda, o programa Pingo D´Água que tem a finalidade de oferecer atendimento odontológico à população rural e que realizou este ano 45 mil procedimentos em nove mil pacientes”, detalha.

A vertente educacional contempla ainda, o primeiro curso de nível técnico semipresencial que tem a finalidade de preparar profissionais para atuar em gestão e assistência técnica rural: o Técnico em Agronegócio idealizado em parceria com o programa Rede e-Tec do MEC - Ministério da Educação. Mato Grosso do Sul conta com 600 alunos matriculados e que participam de aulas presenciais em seis polos presenciais: Aparecida do Taboado, Campo Grande, Coxim, Inocência, Dourados e Maracaju. Beretta lembrou que a iniciativa atende uma demanda por mão de obra qualificada presente em toda cadeia produtiva. “O curso oferecido na modalidade EaD permite que o aluno se programe para estudar e nos encontros presenciais tenha a opção de esclarecer dúvidas e vivenciar atividades práticas das atividades rurais”, acrescenta.

SENAR: a maior Escola da Terra

Outro atendimento que está transformando a realidade de produtores rurais locais é o trabalho desenvolvido pela ATeG – Assistência Técnica e Gerencial que contempla os seguintes setores: piscicultura, hortifrutigranjeiros, tecnologias pecuária, pecuária de leite, além dos programas especiais Soja Plus (boas práticas na produção agrícola) e o ABC Cerrado com foco no estimulo a adoção de sistemas produtivos que objetivam mitigar os gases de efeito estufa.

“Este ano, os programas de ATeG estiveram presentes em 2.147 propriedades, em mais da metade dos municípios do Estado. Os resultados de evolução das atividades produtivas são observados na melhoria do manejo, desenvolvimento de gestão, rentabilidade e lucratividade da produção. Nossa meta para o próximo ano é incrementar as ações, para que possamos chegar a 2.260 produtores rurais”, conclui.

Assessoria de Comunicação do Sistema FAMASUL-SENAR/MS
www.famasul.com.br