Assistência Técnica e Gerencial do SENAR abre mercado promissor para produtores maranhenses

12/09/2017

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Maranhão (SENAR/MA) concluiu a capacitação em São Domingos para 50 produtores rurais que cultivam abacaxi. Durante dois anos, o SENAR, com apoio do Sindicato dos Produtores Rurais de São Domingos prestou  Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) para transferir informações técnicas essenciais para a aplicação de tecnologias nas áreas de plantio e gestão da propriedade. O trabalho  técnico constou de encontros teóricos mensais  e acompanhamento técnico de campo.

Os encontros com todos os produtores serviram para que fossem repassadas informações sobre o uso de agroquímicos e de técnicas modernas para melhorar o cultivo de suas lavouras. Também foi possível a troca de informações entre os participantes sobre as atividades desenvolvidas  em suas propriedades.

Os produtores foram assistidos por dois agrônomos sob a supervisão do mestre em agroecologia especialista em abacaxicultura, Rozalino Aguiar,  que fez o acompanhamento e direcionamento de cada ação implantada no projeto. Para melhor observar a evolução das ferramentas tecnológicas utilizadas durante o período de assistência, foi determinado o cultivo de um hectare  de abacaxi pérola em cada propriedade, conforme as recomendações da equipe do SENAR.

Insumos

Com o trabalho realizado, foi possível mostrar a importância da utilização de ferramentas simples e básicas que impactaram na qualidade do produto, como por exemplo, a adubação de fundação, a  escolha do tamanho das mudas, a  separação das áreas de plantio em talhões pelos tamanhos das mudas, a escolha da época  adequada de plantio, a utilização de insumos registrados para cultura e a importância da compra coletiva de insumos que leva à redução do custo de produção.

Outra iniciativa importante a ser destacada, foi a capacitação dos produtores por intermédio do programa Negócio Certo Rural (NCR), desenvolvido no estado pelo SENAR em parceria com o Sebrae. O objetivo foi envolver os produtores de abacaxi  sobre a utilização de ferramentas simples de gestão, para desenvolver e melhor administrar  suas propriedades rurais.

De acordo com dados registrados pela equipe do SENAR, em uma área de 1 hectare cultivada em sistema de fileira simples, com uma colheita de 30.774 frutos, obteve-se um lucro médio de R$ 1.844,56 comparado a uma área de fileira dupla com colheita de 36.608 frutas resultando em uma receita de R$ 29.286,40 com lucro médio de R$5.193,06.

Comparando-se o lucro de uma área em fileira dupla de um hectare de R$ 5.193,06 com uma área de 1 hectare em fileira simples com lucro de 1.844, 56 reais, pode-se concluir que o lucro do sistema de plantio em fileira dupla  e o que deve ser praticado, levando-se os melhores rendimentos por área para a cultura, pelo simples fato da maior quantidade de frutas produzidas.

Produtora rural de São Domingos serve prato a base de abacaxi em restaurante local

Produção do abacaxi

Para o superintendente estadual do SENAR, Luiz Figueirêdo, esse trabalho de Assistência Técnica e Gerencial em São Domingos do Maranhão, frente aos abacaxicultores, permitiu a avanço considerável dessa exploração frutícola do Estado. “A ATeG oferecida pelo SENAR cria oportunidades para acesso a outros mercados, quase inimagináveis, como São Paulo, Minas Gerais e outros”, acentuou o gestor.

“A assistência técnica e gerencial do SENAR obteve êxito na abacaxicultura  de São Domingos do Maranhão pelo fato dos produtores rurais  mostrarem interesse por informações de qualidade. Com esse trabalho desenvolvido no município, foi possível dar nova dimensão  a importância da produção de abacaxi não somente para o Maranhão, mas também, para o Brasil e para o mundo”, destacou Rozalino Aguiar.

Astolfo Seabra, economista rural e presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de São Domingos, muito feliz pela iniciativa, agradeceu à  Federação de Agricultura e ao SENAR, especialmente ao presidente Raimundo Coelho pela   oportunidade de trazer a metodologia de ATeG  a São Domingos do Maranhão.

“O SENAR foi preponderante no trabalho com os nossos produtores e nós continuamos a acreditar na atividade, que  representa quase que 50% da nossa economia,  gerando a maior parte de nossos empregos e renda”, disse ele.

Francisco Junes Lopes é um dos produtores rurais assistidos pelo programa do desde 2015. Ele avalia de forma bastante positiva e garante que o conhecimento aplicado tem feito grande diferença. Suas atividades diárias se tornaram mais simples, depois do que aprendeu.


Carregamento de abacaxi para exportação

“Destaco tudo que aprendemos  e que é de suma importância para  o meu investimento: Seleção de mudas, horários de aplicação de produtos, espaçamento. Por tudo isso, acho que vale muito a pena participar de todas as iniciativas do SENAR”, disse ele.

Assessoria de Comunicação do SENAR/MA
www.senar-ma.org.br